esolidar-e-impactmarket
Governança e Transparência,  Novidades da eSolidar

Esolidar e impactMarket: juntos para criar mais impacto social e promover transparência

“O bom filho à casa torna”, já dizia o ditado popular. E é com este espírito que esolidar e impactmarket voltam a unir forças para potencializar seu poder de transformar realidades.

O impactMarket, que nasceu na esolidar por um dos seus fundadores, Marco Barbosa (que esteve alguns anos a voar sozinho e a desenvolver um sistema anti-pobreza que já distribuiu perto de 1 milhão de dólares a comunidades desfavorecidas), volta a juntar-se a esta plataforma para uma parceria disruptiva. A união complementa e eleva o valor das duas empresas. Além disso, dá resposta às necessidades do setor e cimenta o propósito que as originou – gerar impacto social e mudar o mundo para melhor.

A colaboração entre esolidar e impactMarket vai oferecer uma solução completa e transparente, sem precedentes e mudar a forma como são realizadas as ações filantrópicas e de responsabilidade social.

Neste artigo, vamos desvendar todas as vantagens desta união e explicar como a tecnologia blockchain pode melhorar a reputação da sua empresa ou organização social. 

impactMarket:  Blockchain para erradicar a pobreza 

O impactMarket é um sistema de rendimento mínimo incondicional. Ele permite que qualquer comunidade crie o seu próprio sistema de distribuição de rendimentos entre os seus beneficiários, de forma independente, gratuita e descentralizada, através da tecnologia blockchain. Seu intuito é erradicar a pobreza no mundo

Este sistema funciona através de uma aplicação para smartphones onde organizações sociais registam o seu projeto social ou comunidade. Após serem aprovados, os projetos ficam disponíveis na aplicação. Eles podem receber doações de pessoas ou empresas, que são depois reencaminhadas para carteiras em Celo Dollars (cUSD), uma criptomoeda atrelada ao Dólar americano que corre na rede da Celo.org

As pessoas que constam da lista de beneficiários, criada pela organização social e registada na aplicação, reclamam o valor de rendimento mínimo incondicional previamente acordado nos contratos inteligentes (smart contracts) que, em seguida, enviam o dinheiro, respeitando as regras estabelecidas de forma automática, sem qualquer intervenção humana ou intermediários para fazer as transações.

Os pagamentos podem ser feitos de forma regular ou quando os beneficiários necessitarem de rendimentos, até o valor total disponível para o projeto terminar. O dinheiro pode ser usado em estabelecimentos comerciais ou transferido para outras carteiras para pagar:

  • comida;
  • contas de eletricidade e água;
  • rendas;
  • qualquer outra necessidade do beneficiário.

Atualmente, o impactMarket é uma das aplicações de Blockchain mais utilizadas no mundo. Desde o seu lançamento em 2020, já conseguiu tirar cerca de 17 mil pessoas da pobreza em 80 comunidades vulneráveis no Brasil, Filipinas, Quénia, Venezuela, Cabo Verde, Zimbabué, Uganda e Gana.

Porque é um sistema tão inovador?

Como o impactMarket opera em tecnologia blockchain, consegue oferecer benefícios sem precedentes em termos de alcance, transparência e utilização:

Sistema grátis para utilizadores

A maioria das pessoas que vivem em situações de vulnerabilidade não têm acesso a uma conta bancária. Isso porque não cumprem os requisitos pedidos pelo sistema bancário tradicional. Com o impactMarket, é possível aceder a serviços financeiros através de um smartphone, sem necessidade de identificação, pagar custos de adesão ou avenças de utilização.

Descentralizado

Como funciona através de contratos inteligentes, não precisa de qualquer intermediário e não tem custos operacionais. Isto permite também que seja resistente a censura, ou seja, ninguém consegue aceder aos fundos nesses contratos nem alterar as suas características e regras.

Transparente

Os participantes podem rastrear as suas contribuições desde o momento em que o dinheiro sai das suas contas até chegar ao seu destino. Assim, conseguem perceber o impacto real alcançado e o desenvolvimento económico local.

Sem barreiras geográficas

As transações realizadas em Blockchain, neste caso na rede Celo, chegam a beneficiários de qualquer parte do mundo em poucos segundos. Isso significa, que começam a gerar impacto desde o primeiro momento. Em algumas zonas de conflito ou crise económica, esta tecnologia é o único meio de transacionar dinheiro do exterior e ajudar as populações.

O poder disruptivo do Blockchain ao serviço da parceria esolidar e impactMarket

A plataforma esolidar é já uma referência para organizações sociais e empresas que querem angariar fundos ou gerar impacto, através da sua responsabilidade social. Com a parceria com o impactMarket, vai poder expandir a sua atuação e ter acesso a um sistema único de distribuição em blockchain. Ele permite seguir os valores angariados até ao seu destino e perceber o impacto que geram com as suas iniciativas.

“Quando o dinheiro sai da conta de uma empresa para ajudar um projeto, a experiência normalmente termina aí. Com esta parceria, queremos que a experiência comece nesse momento e seja possível acompanhar os projetos de início ao fim, ver o impacto real que geram e ter, até, poder de decisão no processo” explica Marco Barbosa, CEO e fundador do projeto impactMarket. 

Esta colaboração vem solucionar a falta de transparência das iniciativas solidárias e doações, um dos maiores desafios do setor. Isso porque trata-se de um sistema descentralizado, totalmente transparente e todos os dados e informações são públicos.

Cimentando o “G” de ESG

Os indicadores de ESG (Environmental, Social and Governance) são conceitos cada vez mais populares no mundo corporativo. Além disso, são uma forma utilizada pelos investidores para perceberem se as empresas têm práticas sustentáveis e se são uma boa aposta para aplicarem o seu capital.  (Saiba mais sobre este tema lendo o nosso artigo O que é ESG e porque é importante para as empresas).

Se as empresas já conseguiam implementar facilmente os indicadores Ambientais e Sociais nas suas iniciativas, através da esolidar, era ainda difícil conseguir ter a transparência e governança necessárias para cumprir o último pilar deste conceito e medir o impacto gerado com as suas ações. Como refere Rui Ramos, CEO da esolidar, “Com o impactMarket vamos poder corresponder a todas as vertentes do ESG. Já tínhamos o E e o S. Agora, com a tecnologia Blockchain temos, também, o G e a transparência tão difícil de obter para as empresas”.

Processos transparentes

Com esta parceria a transparência de todo o processo é garantida. Qualquer stakeholder vai poder consultar os resultados obtidos com as suas iniciativas, perceber exatamente como está a ajudar e afastar qualquer suspeita de fraude ou corrupção. O valor angariado em iniciativas como crowdfundings e leilões solidários vai ser rastreável, do início ao fim. Além disso, vai ser possível saber:

  • qual o impacto gerado junto da comunidade vulnerável;
  • o seu perfil demográfico;
  • qual o feedback do terreno para perceber como esse dinheiro ajudou as pessoas a saírem da situação de pobreza em que se encontravam.

Brevemente, o impactMarket vai lançar governance tokens (criptomoeda) que podem ser adquiridos por quem investe nas suas iniciativas, tornando-se quase como “acionistas” da infraestrutura. Quanto mais fundos as empresas e indivíduos enviarem para os projetos, mais tokens vão receber. Da mesma forma, à medida que o impacto gerado aumentar, as suas ações vão, também, valorizar.

Esta mudança oferece, ainda, governança aos participantes. Afinal, todos os “acionistas” vão ter controlo sobre a plataforma e poder votar e decidir democraticamente sobre o funcionamento e futuro do impactMarket.

Histórias com impacto

Atualmente, o impactMarket tem projetos em 14 países e está a desenvolver esforços para chegar a mais locais em situação de pobreza e conflito.

No Brasil, opera em 57 comunidades, onde já beneficiou cerca de 12 mil pessoas em situação de vulnerabilidade. Só na comunidade de Lauro de Freitas, na Bahia, foram ajudadas mil famílias que receberem o equivalente a R$ 250 por mês. 

Na favela do Rato, no Rio de Janeiro, as pessoas beneficiadas conseguiram ter rendimentos suficientes para pagar as suas dívidas ou despesas. Além disso, como o dinheiro circula na comunidade, promove a economia local e beneficia os comerciantes que conseguem vender mais produtos, melhorar os seus serviços e gerar emprego.

Veja o vídeo desta reportagem que foi perceber como o impactMarket mudou a vida da comunidade do Rato.

Do campo de refugiados de Krisan, no Gana, chega a história de um casal da Serra Leoa. Com quatro filhos pequenos (um dos quais com Síndrome de Retts), as imensas despesas com consultas, medicamentos e fisioterapias absorviam todo o orçamento familiar. Desde que começaram a receber o rendimento mínimo incondicional do impactMarket, em 2021, puderam iniciar um negócio de venda de pequenos produtos e juntar dinheiro suficiente para abrir o primeiro salão de cabeleireiro do campo e, ainda, cobrir todas as suas despesas médicas.  

Estas são apenas algumas das histórias de impacto social que já ganharam vida. 

Com a parceria entre a esolidar e o impactMarket vamos poder aumentar a escala e impacto das nossas iniciativas, potenciar o crescimento de projetos de inovação social e estimular o investimento transparente e responsável. 

Juntos somos mais fortes!


Para saber como a sua empresa ou organização social pode participar nos projetos da esolidar e beneficiar da tecnologia blockchain do impactMarket, contacte-nos em info@esolidar.com.

Aproveite o fim desta leitura para seguir a esolidar no LinkedIn, Facebook e Instagram. Assim, você acompanha todas as novidades sobre esta parceria e não perde nossos conteúdos sobre impacto social!

Share via
Copy link
Powered by Social Snap
Close Bitnami banner
Bitnami